Foto: Patrícia de Sá

“O que é um jardim?
Olhar para as formas da natureza gera algo diferente em sua percepção?
Para que cultivamos jardins?
Onde está o jardim mais próximo a você?
Alguma planta é sua amiga de infância?
Alguma outra é uma nova conhecida?

Será que o jardim já foi brincadeira na sua vida?”
Jardim das Brincadeiras – Guilherme Blauth
Vez ou outra, ouço indagações sobre como brincar com as crianças nos parques e praças da cidade. Os pais deixam seus filhos brincarem livremente, mas se sentem culpados por não participarem diretamente da brincadeira. Nessa praça, a gente sempre incentiva o brincar livre – deixando que a criança explore o ambiente e suas potencialidades – e o brincar junto – transformando aquele momento para a família, no qual todos irão se divertir. 
Mas, como brincar junto com os pequenos? Confesso que é necessário uma grande dose de disposição e criatividade. Quando conheci o livro Jardim das Brincadeiras, de Guilherme Blauth, educador e ecologista, fiquei super empolgada. Afinal, o contéudo é riquíssimo, super criativo e gratuito. Blauth compartilha dicas de como brincar e conectar-se a natureza, a outros seres vivos, descobrir a graça dos elementos, transformando a visão de mundo da criança e do adulto. 

“As brincadeiras vêm de outro tempo, atravessam gerações e gerações. Um belo dia chegam para nós: aprendemos como os nossos antepassados brincaram outrora. Mas algumas outras brincadeiras surgem espontaneamente, no calor do agora, como mágica. As brincadeiras de jardim desse livro aparecem para quem tem o olhar divertido para a natureza. O olho de quem quer brincar. O desejo de se espantar.
Estar atento às brincadeiras da natureza foi a minha brincadeira preferida nos últimos anos.
Nascem brincadeiras quando contemplamos folhas, cipós, sementes, flores e percebemos suas formas, movimentos e suas relações com os animais e com outros elementos da natureza, ar, água, fogo e terra.”

Folheando as páginas, aprendemos que é possível inventar brincadeiras a partir das folhas e sementes que encontramos pelo chão. Também ficamos sabendo de curiosidades sobre os elementos da natureza.
No último final de semana, experimentei a proposta com as minhas filhas, durante um passeio pelo parque. Em um primeiro momento, fomos exploradoras, em busca de tesouros. Depois, ficamos um bom tempo inventando funções e brinquedos a partir da “colheita”. 
                           
                           
Curiosidade é inerente da criança. Durante nossos eventos, a gente sempre vê os pequenos brincando com elementos que encontraram por ali, explorando sua criatividade e imaginação. Não é necessário o brinquedo de última geração, aquele que faz tudo sozinho, ou aquele eletrônico que funcionaria como “aquieta menino” por algumas horas. O estímulo vem do ambiente. 
Faça o download do livro. Se mesmo após a leitura, você ainda ficar perdido, no final do livro, Blauth compartilha mais dicas sobre o brincar e convida o leitor para criar o seu próprio jardim com espécies diversas. 
Que tal colocar em prática no próximo final de semana?

Para fazer o download, clique aqui ;)

Printscreen – Jardim das Brincadeiras