Por Lucinda Mendonça, psicóloga

Crianças e mentira, um assunto que não tem fim {leia o que já escrevemos sobre neste link}. Por mais que tenhamos falado sobre esse assunto, sempre há o que acrescentar. Muitos pais ficam preocupados em diferenciar a mentira da imaginação infantil e têm medo de chamar a atenção da criança e acabar prejudicando a criatividade dos pequenos.

Os cuidadores devem ficar atentos se a “mentira” é prejudicial à própria criança ou a alguém. Se a resposta for positiva, deve haver uma intervenção imediata. Caso não, se o assunto for lúdico, fantasioso, pode-se, inclusive, entrar na história. Sempre com atenção para verificar se a criança entende que aquilo é uma fantasia.

Por exemplo: a criança se fantasia de super-homem e começa a contar mil aventuras que vivenciou. Não há motivos para desmenti-la, mas deve-se reforçar que aquilo é uma história e que ela não tem os poderes do super-herói.

Já em outra situação, alguém liga em sua casa, a criança atende o telefone e diz que você não está. Nesse caso, você deve intervir, dizendo que não se pode mentir, mas sempre procurando entender o motivo pelo qual ela não disse a verdade. Nesse caso, por exemplo, a criança pode ter mentido porque não queria lhe dividir com ninguém. Então você deve acolher esse pedido de atenção e explicar a ela sobre os vários papéis que possui e a importância de dar atenção a todos. Ressalte que ela irá receber a atenção que merece. 
Como tudo na maternidade/paternidade, a mentira também não tem uma receita de bolo que deve ser seguida. O mais importante é identificar o porquê de cada mentira. Ninguém mente à toa, nem mesmo as crianças. Ou elas o fazem por brincadeira ou para conseguirem algo que querem, seja sua atenção, sua admiração, seu carinho, a não punição etc.

É muito importante acolher seus sentimentos e avaliar a mensagem que a criança está tentando transmitir. Ensine que a mentira não é uma atitude legal, que ela pode “resolver” um problema imediatamente, mas pode causar vários outros em seguida. Em casos suspeitos de abuso, de preconceito, de bullying, foque sua atenção, pois muitas vezes não se trata de fantasia. 

À medida que as crianças crescem cercadas de bons exemplos, amor, acolhimento e carinho, percebem que dizendo a verdade, ganham muito mais. E que é muito mais fácil dizer e viver a verdade do que inventar e sustentar uma mentira.