Passear ao ar livre é uma delícia, um programa saudável, que auxilia no desenvolvimento cognitivo, social, psicológico. Só traz benefícios, como a gente vive repetindo nesta praça.

Acontece que, quando chegamos num parque ou pracinha com os pequenos, esperamos, geralmente, que eles prontamente iniciem suas brincadeiras e interajam com as outras crianças. Isso, no entanto, nem sempre acontece.

A criança, às vezes, pode ficar tímida, ou sem saber como brincar num espaço que não conhece.

Isso acontece sim, e é super normal. Por isso, cabe aos pais, muitas vezes, incentivarem esse brincar dos pequenos. Eles têm a brincadeira na veia, mas um empurrãozinho é sempre muito bem-vindo para que ela comece a circular pelo corpo inteiro, bombeando o coração.

Por isso, como facilitador desse incentivo, começamos a utilizar, há algum tempo, a “Sacola de pracinha”. Tem dado muito certo, entre todos os pequenos por aqui.

Na realidade, a Sacola, nada mais é, do que a união de todos aqueles brinquedos que os pais, geralmente, vetam em casa, para não terem um lustre ou vidraça quebrados, ou que são mais divertidos de se brincar ao ar livre. São opções super simples, como a peteca, a corda, o elástico, entre outros.

A Sacola de pracinha é muito fácil de montar e muitas coisas você com certeza já tem na sua casa. A ideia é apenas reunir tudo em um só lugar e, sempre que sair de casa com o pequeno para um passeio ao ar livre, levá-la a tira colo, como aquele coringa que vai deixar o passeio muito mais divertido.

Muitas famílias, inclusive, já deixam a sacola no porta-malas do carro ou em um ponto estratégico da casa, para não correr o risco de ficar para trás depois que saírem, vale a dica.

 

O que não pode faltar na sacola de pracinha:

 

Bolha de sabão
Se você quiser reunir várias crianças, comece a soltar bolhas de sabão. Elas imediatamente se direcionam às bolhinhas e, num segundo, estão todas saltitando na mesma direção, interagindo umas com as outras.

Peteca
É desafiador, especialmente para os menores. Mesmo que as crianças não saibam jogar, elas adoram dar a primeira tacada e tentar acertar as demais, ainda que nem sempre tenham sucesso…! Mas é assim que se aprende, né?

Foto: Ana Camargos

Giz

Pra desenhar, pra riscar amarelinha no chão. As crianças amam e a gente vai incentivando a criatividade dos pequenos.

Foto: Ana Camargos

Elástico
Sara ainda está aprendendo e eu adoro ensinar, porque curtia muito brincar de elástico quando criança. Há muitos tipos de regras, e a criança pode, inclusive, criar as próprias. Mas em geral, a ideia é pular dentro e fora do elástico, dificultando o desafio em três níveis: com o elástico no calcanhar, no joelho e na cintura.

Foto: Júnia Chaves

Miniaturas de animais e fazendinha
Brincar com bonecos é uma delícia. Então, ao chegar numa pracinha e tirar as miniaturas da Sacola, elas imediatamente são transportadas a desertos, montanhas e florestas imaginários.

Foto: Patrícia de Sá

Brinquedos de praia
Baldinho, pazinha e pequenas forminhas dão asas à imaginação dos pequenos, seja na areia ou na brita de um parque.

Corda
É o brinquedo preferido da Sarinha. Dá pra pular individualmente, com mais duas pessoas para bater, ou variar a brincadeira: reloginho, passe debaixo, cabo de guerra. A corda, definitivamente, não pode falta na Sacola de pracinha.

Foto: Patrícia de Sá

Bola
Não tem idade pra jogar, não tem limite de brincadeiras. Bola é legal sempre. Para bebês, para os menorzinhos e para os grandes. Difícil uma criança que não queira dar um chute, jogar para o alto ou marcar um gol.

A Sacola de pracinha contém opções muito simples que entretêm as crianças e fazem com que os passeios ao ar livre sejam experiências ainda mais especiais e inesquecíveis para os pequenos. Daquelas que, quando eles se tornarem adultos, sintam vontade também de proporcionar aos seus filhotes.