por Lucinda Mendonça, psicóloga

É muito bom receber e-mails de leitores sugerindo novos temas e parabenizando o conteúdo. Este tema foi sugestão de uma leitora e tenho certeza que muita gente passa por este problema também.
Não tenho nenhum dado científico, mas arrisco dizer que mais de 95% dos casais e pais sofrem ou sofreram algum tipo de intromissão das famílias sobre a maneira de viver ou de criar seus filhos.

Há algumas intromissões que são fáceis de serem contornadas, mas, às vezes, são tão invasivas que podem prejudicar uma união e/ou uma família. A vida a dois já não é nada fácil. Afinal, um casal é composto por pessoas que têm algumas coisas em comum, mas foram criados de formas totalmente diferentes. E lidar com essas diferenças de forma respeitosa e com muito diálogo é que faz a união ser duradoura e feliz.

Mas muitos casais, além de terem que lidar com as dificuldades do dia a dia, ainda têm que lidar com interferências tanto da mãe ou do pai, quanto da sogra ou sogro. E aí, se o casal não está extremamente unido, com seus planos bem traçados, podem começar a brigar por motivos que normalmente nem lhes diz respeito.

Portanto, é muito importante que o casal tenha liberdade para conversar sobre tudo e, principalmente, que seja capaz de reconhecer que seus pais são humanos imperfeitos e que podem lhe ajudar com algumas coisas, mas que nem sempre o que eles querem é o que é melhor para o casal. Vocês são responsáveis por suas escolhas, sabem o que realmente é melhor para vocês. Podem, várias vezes no meio do caminho, perceber que aquilo não é tão bom e mudar, mas porque vocês, juntos, decidiram isso.

Quando o casal resolve ter filhos, as diferenças entre eles normalmente ficam mais vísivel pois, na maioria das vezes, cada um quer criar o filho da maneira que foi criado. E as intromissões também se multiplicam. Mais uma vez, a união do casal, a disponibilidade para ouvir e a coerência nas escolhas serão fundamentais para que saibam como agir com as interferências dos seus familiares ou do seu cônjuge.

Por isso, é importante o diálogo. Pois só ouvindo o que o outro tem a dizer e falando sobre seus sentimentos e desejos, é que serão capazes de achar uma solução para tudo como casal e como pais. Ter bem claro para si como querem viver e criar seus filhos faz com que saibam lidar com as intromissões de forma segura e sem atrapalhar a vida.

Não é preciso brigar com pais ou sogros. Com eles também é importante falar a verdade. Conversar francamente, dizer o que está incomodando. Deixar bem claro que a maneira de criar os filhos é uma decisão do casal e não só de um ou outro e muito menos dos avós. E que o que vocês desejam é que eles respeitem a maneira de vocês serem.

Os nossos pais sempre serão muito importantes nas nossas vidas. Mas a partir do momento que escolhemos nos unir e ter filhos, essa nova família passa a ser também muito importante. E viver em paz com todos é o ideal. Enfim, é preciso que o casal seja sincero um com o outro e que, além de escutar, também
seja capaz de refletir e, se necessário, mudar suas atitudes frente aos palpiteiros e ao seu cônjuge e filhos.
Casais sintonizados são sinônimo de família unida e feliz!