por Maria Dolores Fernandes Amorim, ortodontista

A mordida cruzada posterior e o uso de aparelho

Já conversamos nesta pracinha sobre a necessidade de se usar aparelho quando existe a mordida cruzada anterior, ou seja, quando os dentes de baixo da criança encaixam-se por fora dos dentes de cima. Lembra-se da história da caixa? A nossa arcada dentária, em geral, funciona como uma caixa e sua tampa. Mas quando existe a mordida cruzada anterior, essa tampa “fecha ao contrário”.

Mordida cruzada posterior:
dentes inferiores por fora
dos dentes superiores
Existe, no entanto, outro tipo de mordida cruzada, chamada posterior. Ela acontece quando os dentes de cima, que estão lá atrás, ou seja, os molares e pré-molares, encontram-se para dentro em relação aos debaixo. Dá a impressão de que os dentes de baixo “se movimentaram” para fora, e não estão corretamente posicionados sob os dentes superiores. Inclusive, pode acontecer até um desvio do queixo para um dos lados.
Será que essa mordida cruzada posterior precisa ser tratada mesmo com dentes de leite? Quando? Por quê? Aparelho fixo ou removível?

Bem, vamos por partes::: O cruzamento da mordida pode acontecer em um ou mais dentes, assim como podem ocorrer outros problemas ortodônticos em conjunto. É importante uma avaliação completa.

:: A época de tratamento dever ser tão logo haja colaboração da criança na utilização dos aparelhos. O tipo do aparelho vai depender de cada caso. Em geral, são muito bem tolerados por elas. Em certos casos, as crianças podem inclusive escolher a cor, o que os torna bem atrativos. Seja com os aparelhos fixos ou com os removíveis, a colaboração é, em geral, muito boa.

:: O tratamento precoce da mordida cruzada posterior é muito importante, pois pode evitar o desenvolvimento de assimetrias faciais que mais tarde, na vida adulta, só poderiam ser corrigidas através de cirurgias. Pode também fornecer mais espaço para o alinhamento de dentes, além de propiciar aos dentes permanentes um melhor posicionamento.

:: A mordida cruzada posterior pode ter várias causas, como hábitos de sucção, desvios dos dentes quando estão nascendo, causas hereditárias e genéticas.

O ortodontista é o especialista indicado para esclarecer bem cada caso, a forma mais adequada e a época ideal para iniciar o tratamento.