Foto: Patrícia de Sá
Foto: Patrícia de Sá

O leite materno é o melhor alimento do mundo porque ele é personalizado de acordo com as necessidades do bebê. Além de muito nutritivo, ele tem a vantagem de ser consumido direto da fonte, fresquinho e livre de contaminação. É super sustentável, pois não gera lixo como latinhas e nem demanda nenhum acessório como mamadeiras. Outra vantagem incrível do leite materno, é que ele é de graça. Uma lata de fórmula infantil custa em torno de R$35,00 e em geral dura cerca de uma semana. Se multiplicarmos isso por 12 meses de 4 semanas, o gasto anual com fórmula sai por R$1.680,00! Se a fórmula infantil fosse melhor, até justificaria, mas esse valor é pago por uma imitação que sonha em um dia ser igual ao leite materno e nunca será…

Não se deixe ser enganado(a)! Existe um marketing pesado para te convencer do contrário. E eles ganham muuuuuuito dinheiro com isso.

Nunca diga a uma mulher que o leite dela é fraco. Todo leite é exatamente o que o bebê precisa. Pra você ter ideia, de um mesmo seio, saem leites diferentes para atenderem diferentes necessidades. O leite anterior, o primeiro que sai, é mais ralinho, rico em células de defesa e perfeito para hidratar a criança. Já o leite do final da mamada é mais branquinho e gorduroso, serve para matar a fome. Outra curiosidade, mulheres que tem bebês prematuros com baixo peso, tem leites mais calóricos para ajudar essa criança a se recuparar, assim como mulheres que amamentam crianças maiores, possuem leites mais maduros com a composição de leite exata para complementar a alimentação dessa criança.

Nunca diga também que a mulher não tem leite suficiente. A quantidade de leite depende da demanda e a produção de leite é instantânea. Isso significa que o bebê não mama apenas o leite estocado, mas que enquanto há sucção, há produção. Uma prova disso é que enquanto o bebê mama num seio, geralmente o outro começa a pingar.  Não adianta colocar a bombinha e tirar o leite pra saber quanto de leite tem, porque um bebê sabe sugar muito melhor que uma bombinha e a quantidade que sai, sempre é subestimada. Outro teste que tem um resultado falso, é dar a fórmula pra ver se a criança para de chorar. Em geral elas param e até dormem. Não porque estavam com fome, mas porque a digestão dessas fórmulas é tão lenta quanto à de uma feijoada, e de tão pesada, acaba dando sono mesmo.

Nem sempre que um bebê chora, ele está chorando de fome. Os bebês são muito inseguros, eles querem a mãe por perto o tempo todo porque sentem saudades do útero. Mamar é também uma forma de se sentir ligado à mãe novamente. Traz o aconchego e segurança que eles precisam. Isso não é mimar, isso é amar. Amar ao ponto de se negar em favor do outro e ao ponto de fingir que não está percebendo que está sendo feita de chupeta. E se a mãe não se incomoda com isso, ok. Se formos avaliar de uma forma mais profunda, não as mães que são feitas de chupeta, as chupetas que andam sendo feitas de mãe.

Não sinta dó da mulher que amamenta, por mais cansada que ela esteja, ela faz isso com muito amor. Ela sabe que é bom para o filho dela e por mais cansativo que seja, é muito recompensador. Gera um vínculo delicioso e reforça a segurança da nova mamãe que também acaba de nascer.

E um segredinho… Mesmo amando amamentar, existem momentos que são tão difíceis, que as mulheres duvidam que sejam realmente capazes. Por mais instruídas que elas sejam, sempre rola uma dúvida se o leite está sendo suficiente. Por mais segura que a mamãe pareça, sempre há uma insegurança. E em algum momento, a maioria das mulheres costuma chegar num ponto que sentem dó delas mesmas. Nesses momentos, o que você disser pode ser a gota d’água para ela tomar uma decisão. E por pior que esteja a situação, tudo que ele quer ouvir é um “você consegue”. Então, seja você essa força, essa palavra amiga, esse apoio.

Para uma mulher ser feliz na amamentação, ela precisa de 4 coisas:

– Beber muita água

– Acreditar e confiar que seu leite é o melhor alimento que existe para o seu bebê.

– Descansar

– Ter apoio (principalmente da mãe, da sogra, do marido e do pediatra).

Então se você quer ajudar, leve um copo de água para a mamãe que amamenta o tempo todo, não levante dúvidas em relação ao poder do corpo dela produzir o melhor alimento para o filho, ofereça ajuda para que ela possa descansar e apoie. Encoraje essa mulher a alcançar seu objetivo! Está difícil, mas ela quer continuar. Ela ainda vai se orgulhar muito disso um dia. E sua ajuda vai ter feito toda a diferença.