Pré-escrito: quem nomeou esse post foi a Alice, quando perguntei para ela como chamar essa atividade que a gente inventou. Eu queria fazer uma atividade de outono que fosse simples o suficiente para a Nina poder participar e algo que interessasse a Alice e uma amiguinha dela também. Tive uma ideia que incluiria um pequeno passeio, para catar as folhas. Isso foi ótimo! Estávamos todos naquele momento precisando de um pequeno passeio. Aqui começou a ficar frio e, às vezes, a gente fica mais tempo do que deveria dentro de casa. Dica mais ou menos fotográfica: Pequenos passeios são também ótimas oportunidades de tirar fotos, já que não precisamos carregar aquela quantidade enorme de coisas que normalmente temos que levar quando estamos em passeios mais longos. O resultado é que ficamos com os braços e as mãos livres para segurar a câmera! A gente também leva a câmera para passeios longos muitas vezes, mas é bem verdade que de vez em quando elas ficam para trás por causa do peso extra. O Rô pegou uma câmera, eu a outra, a Alice pegou um kit que ela tinha criado aquela tarde para investigar a natureza, a Nina pegou pedaços de pão seco (para os patos) e a amiguinha, algumas sacolinhas de supermercado. Ninguém lembrou de levar água… Passeio curto mesmo!

Pré-escrito: quem nomeou esse post foi a Alice, quando perguntei para ela como chamar essa atividade que a gente inventou.

Eu queria fazer uma atividade de outono que fosse simples o suficiente para a Nina poder participar e algo que interessasse a Alice e uma amiguinha dela também. Tive uma ideia que incluiria um pequeno passeio, para catar as folhas. Isso foi ótimo! Estávamos todos naquele momento precisando de um pequeno passeio. Aqui começou a ficar frio e, às vezes, a gente fica mais tempo do que deveria dentro de casa.

Dica mais ou menos fotográfica:

Pequenos passeios são também ótimas oportunidades de tirar fotos, já que não precisamos carregar aquela quantidade enorme de coisas que normalmente temos que levar quando estamos em passeios mais longos. O resultado é que ficamos com os braços e as mãos livres para segurar a câmera!

A gente também leva a câmera para passeios longos muitas vezes, mas é bem verdade que de vez em quando elas ficam para trás por causa do peso extra.

O Rô pegou uma câmera, eu a outra, a Alice pegou um kit que ela tinha criado aquela tarde para investigar a natureza, a Nina pegou pedaços de pão seco (para os patos) e a amiguinha, algumas sacolinhas de supermercado. Ninguém lembrou de levar água… Passeio curto mesmo!

Quando cheguei em casa, imprimi num papel A4 as carinhas das meninas, e dei para cada uma delas. A ideia era criar um corpo para as cabeças com o material recolhido. Segredos dos bastidores: a Nina se recusou a ficar com o papel da carinha dela, queria o que tinha a carinha da Alice de qualquer jeito. A Alice foi gente boa com a irmãzinha e deixou trocar.

Segue a receita da nossa arte para vocês.

Você vai precisar de

– folhas, galhos, sementes secas e planas
– papel A4 branco
– fotografia 3×4 ou uma foto qualquer de rosto de cada um dos seus filhos.

Como fazer:

:: Pegue folhas de diferentes tamanhos. Pode pegar galhinhos também ou sementinhas. O único requisito é que eles sejam relativamente planos.
:: Imprima uma foto do rosto do seu filho em um papel A4. Se você não souber como fazer isso, pode recortar o rosto de uma foto qualquer, ou simplesmente colar um 3×4 no papel.
:: Com as folhas e galhos, faça um corpinho para a cabeça.
:: Finalize com lápis os detalhes.

Ah, coloque num lugar bonito da sua casa para todos poderem admirar!

Os desenhos aqui em casa ficaram bem bonitinhos. E os da sua?