Foto: Patrícia de Sá

    Foto: Patrícia de Sá

Se a sua criança gosta de animais, possivelmente você já ouviu essa pergunta: “posso ter um bichinho de estimação?”.  Muitos pais e responsáveis questionam se há benefícios para a família em se ter um pet. A decisão deve ser tomada a partir da realidade de cada uma.

Estudos comprovam que a convivência com os animais faz bem para o ser humano. Ele é companhia para aquele que se sente só, ajuda a desenvolver a responsabilidade e a empatia nas crianças, alegra o ambiente – poderíamos listar páginas e páginas de vantagens em se ter um animal de estimação.

Os benefícios da convivência com animais vão além do ambiente doméstico. Há tempos existem os cães guias para deficientes visuais, os cães que participam de resgates e, hoje, já existem hospitais que utilizam animais para ajudar pacientes em tratamentos prolongados como o câncer, há também a cão terapia para pessoas com autismo e paralisia cerebral, equoterapia para crianças com déficit motor, entre outros. Muitas vezes terapeutas orientam a adoção de um pet para auxiliar no tratamento da depressão e até na socialização. Os animais são grandes aliados não só dos pais, mas também de vários profissionais da área da saúde.

Para decidir se vale a pena ou não ter um pet é preciso levar em consideração vários fatores, como a disponibilidade para cuidar emocionalmente, fisicamente e financeiramente e o estado de saúde dos membros da família (por exemplo, há alérgicos? há pessoas que tem medo dos bichos?) – é importante consultar o médico de confiança antes de tomar a decisão que poderá afetar a dinâmica familiar.

Animais de estimação exigem atenção e cuidado e, assim como filhos, não podem ser deixados de lado, eles precisam dos donos. Há uma variação grande entre tempo de vida, necessidade de cuidado e atenção. Então é importante pesquisar entre os animais que a família está interessada em adotar, e avaliar qual o perfil é mais próximo ao estilo e a rotina de cada uma. Busque informações e converse com veterinários para entender mais sobre as características do animal. Avalie bem. E se a decisão for positiva, permita-se ser amado e amar o novo membro da família.