Restaurante, sala de espera de consultório, filas de banco: parece que estar com crianças nesses lugares é stress na certa. Vale, então, colocar em prática algumas dicas de brincadeiras que podem ser feitas sem precisar de nenhuma estrutura (e deixando de lado o celular!). E, de quebra, estreitar ainda mais os vínculos entre pais e filhos.

Ar, Terra e Mar
A criança, inicialmente, escolhe uma das palavras: ar, terra ou mar. Por exemplo: ar. O adulto (ou quem estiver participando da brincadeira) fala o nome de um animal que vive no ar. Depois a criança fala e assim sucessivamente, até esgotarem-se as possibilidades. Não vale repetir o animal. Em seguida, passará para a “terra”, depois o “mar”.

Elefante voa
A criança fica de frente para o adulto. O adulto pergunta se determinados bichos voam. Se voarem, a criança deverá responder “voa” e fazer o gesto com os braços. Exemplos: galinha voa? Pato voa? Elefante voa?

Caça ao Tesouro
Basta esconder um objeto em qualquer ambiente e sugerir que a criança o encontre. Pode ser usado “quente” para quando estiver perto, ou “frio”, quando estiver se distanciando.

Faz de Conta
Finja que está doente e precisa de ajuda. Finja que chegou a hora do almoço e é preciso fazer a comida. Finja que o carro estragou. Invente e deixe a criança entrar junto na história.

Mão certa
Simples assim: esconda o anel ou outro pequeno objeto em uma das mãos e deixe a criança tentar adivinhar onde está. Depois, é a vez da criança esconder.

Continue a história
Você começa uma história inventada. Por exemplo: “Era uma vez, uma menina que morava numa casa amarela. Um dia…” Em seguida, você pede para a criança continuar, inventando o que acontece na sequência. Vocês continuam a história revezando entre si.

Com meus olhinhos
Escolha um objeto no ambiente onde estiver com a criança e cite a cor dele: “Com meus olhinhos, estou vendo algo verde”. A criança explora o ambiente até encontrar o objeto mencionado.

Macaco disse
O Macaco, ou mestre, é quem determina o que a criança tem que executar, segundo a regra que exige o comando completo: Macaco disse para subir a escada ou Macaco disse para saltitar no lugar etc. Somente as ordens dadas pelo Macaco devem ser obedecidas. Se disser somente “Levante os braços” – deve-se permanecer na posição anterior, até que a ordem venha do Macaco.

Isso me lembra
Uma pessoa começa dizendo uma palavra qualquer. A criança deverá dizer outra palavra que tenha a ver com aquela. Por exemplo: tomate. A criança diz: horta. Depois a próxima pessoa: alface. O próximo: verde. O outro: grilo. E assim a brincadeira continua, até que alguém não consiga se lembrar de uma palavra relacionada com a outra. Em geral, a criatividade impera, a brincadeira rende um tempão e gera boas gargalhadas.

Rima Rima
Simples assim: você diz uma palavra e a criança diz outra na sequência, que rime com ela. A brincadeira continua até que alguém não consiga mais ter opções. Ex.: você diz céu, a criança diz chapéu, depois você diz mel e assim sussessivamente. Se houver mais pessoas, mais divertido fica.

Como é esse lugar?
Peça para a criança observar durante 30 segundos o lugar onde estão. Depois, peça que feche os olhos e descreva o espaço, da forma como conseguir. Ao abrir novamente, ela pode descobrir detalhes que não viu e observar outros que se confundiu. A brincadeira é ótima para desenvolver a memória.

Descubra o que eu disse
Fale uma palavra sem emitir som, para que a criança faça a leitura labial. Depois, inverta e veja se a criança descobre a palavra que você disse. Dependendo da faixa etária, você pode brincar com frases cada vez mais longas também. Essa brincadeira tem nos divertido nas férias – fazemos lá fora, em casa, em todo lugar.