Na manhã ensolarada de domingo, 12 de março, ocupamos os jardins do Museu Casa Kubistchek, na Pampulha. Toalhas e esteiras estendidas pelo gramado, livrinhos, histórias, muitas risadas e carinhos… uma maneira mais que especial de celebrar os 5 anos do projeto! Ficamos sempre muito contentes com as cenas que presenciamos e que são registradas em nosso post de cobertura _especialmente clicadas pela Patrícia de Sá.

Um tempo de presença para a família, de criação e compartilhamento de memórias afetivas. É tão legal saber que essas famílias, ao circularem pelos espaços públicos e culturais de Belo Horizonte, sentem-se parte da cidade, não é mesmo?

Aquele colorido da Pracinha esteve presente com a cenografia preparada pela Brincar lá fora. Muitas famílias visitaram os ambientes do Museu Casa, com histórias contadas pela Paola, responsável pelo Educativo – conhecemos um pé de cravo no quintal, entendemos um pouco mais sobre o contexto histórico, os hábitos da família de JK e da sociedade em geral, nos encantamos com os detalhes do design tão marcante daquela época. Ouvimos muitos “queria morar aqui” {risos}. Até foi possível levar um pouquinho do Museu para casa, pois mudinhas das plantas do jardim, assinado por Burle Marx, foram distribuídas <3<3<3

Muitas crianças realizaram as trocas entre si, a cada edição percebemos que elas estão mais autônomas e entendendo melhor a proposta. As famílias participam, interagem, fazem novos amigos – tem coisa melhor?

Pra encerrar a manhã, a Casa de Lua apresentou a história do Bonequinho Doce, que encantou a meninada. O conto de Alaíde Lisboa fez parte da infância de muita gente. As peripécias de Lalá e Lucinha, interpretadas pela Fabi e Adê de forma tão especial, permitiram que as crianças interagissem diretamente com a narrativa. Todo mundo brincou, pulou amarelinha, corda imaginária e produziu o bonequinho <3

Enquanto editamos essa cobertura, já ficamos ansiosas pela próxima edição, afinal, brincar lá fora é bom demais!

 

 

{Confira mais fotos aqui}