Foto: Patrícia de Sá
Foto: Patrícia de Sá

 

Sabemos que a relação do pai e da mãe com seu(sua) filho(a) começa desde antes do nascimento, e acontece a partir das expectativas que eles têm sobre o bebê e da interação que estabelecem com ele desde este momento. É verdade que encontramos por aí muito mais ênfase nas percepções sobre relação mãe-bebê, no entanto, estamos vivendo uma era importante, de resgatar o papel dos pais e de evidenciar os benefícios do envolvimento deles com as crianças.

Ainda durante o período gestacional, essa relação pode ser estabelecida por meio da construção de uma imagem mental sobre o bebê, do exercício da paternidade e dos contatos interacionais entre ambos.  O pai, desde este momento, pode desenvolver uma relação com a criança, ocupando seu lugar como pai, se relacionando com o bebê de forma mais ativa.

Segundo pesquisadores a formação do vínculo entre pai e filho(a) tende a ser mais lenta, e vai se consolidar gradualmente após o nascimento e ao longo do desenvolvimento da criança. Com isso, pode aparecer um sentimento de exclusão, muitas vezes encontrado nos pais neste período. Percebe-se que durante a gestação muitos pais não sabem como interagir e como entrar em contato com seus bebês.

Estratégias que podem facilitar ao pai estar em contato com seu bebê durante a gestação, podem ser consideradas, como o contato tátil com a pele da barriga da gestante, que pode fazer com que o pai experiencie a resposta dos movimentos do bebê, sentindo-o, e construindo uma imagem mental dele. Outra sugestão é participar de rodas de conversa com outros pais e cursos de pais grávidos. Para alguns autores, a ultrassonografia também pode ser considerada um outro recurso de inclusão dos pais no processo da gestação, pois ali partilham uma posição de igualdade com a mãe no momento do exame, pois ambos enxergam a mesma imagem do bebê e têm acesso às mesmas informações.

O envolvimento dos pais no processo de paternidade é tão importante que O Ambiente Virtual de Aprendizagem do SUS (AVASUS) oferece o curso Promoção do Envolvimento dos Homens na Paternidade e no Cuidado” gratuitamente pela internet. O curso tem carga horária de 60h e fica disponível para quem tem interesse sobre gênero, masculinidade, autocuidado e o envolvimento dos homens no exercício da paternidade e do cuidado.

É bastante sabido que a relação do pai com o bebê durante a gestação serve de base para a relação pai-filho(a) após o nascimento, por isso é tão  importante ter um olhar atento sobre a forma como os pais vivenciam a paternidade desde o início da gestação e criar estratégias para que esse envolvimento seja cada vez maior e mais profundo.