Foto: Duorama

Nunca imaginamos que um dia estivéssemos escrevendo aqui sobre “boas maneiras em festinhas de aniversários em parques e praças”. Mas do jeito que a coisa anda, o assunto acabou por tornar-se inevitável.

O boom de festas ao ar livre é visível – muitos de vocês já devem ter participado de algum aniversário nesses espaços públicos, ou ouvido falar de alguém que comemorou com um piquenique em uma praça ou parque da cidade.

Tudo lindo, tudo diferente, tudo bacana, mas na prática, está ocorrendo um fenômeno bem estranho. Aquela gentileza que lutamos para incutir na cabecinha dos nossos pequenos, aquele carinho de anfitrião que certamente a mãe da maioria de vocês deve ter ensinado, não têm sido vistos circulando por aí.

Temos recebido aqui Na pracinha e-mails relatando a indignação de famílias que têm sentido seu direito ferido, quando chegam a algum parque e lá está sendo realizado um aniversário no qual são vistos como penetras da festa. Eles nem sabiam que ali aconteceria uma festa!

Outro dia uma mãe nos relatou que quando seu filho chegou no parque e viu toda a parafernalha montada, logo soltou: “mãe, hoje aqui não é parque, hoje aqui é festa. Quero ir embora”.

Ok, diante dessa situação que parece estar cada vez mais comum, achamos importante colocar nesse post um pequeno manual de sobrevivência em festas ao ar livre. Vamos aos pontos:

Decoração:
O legal de fazer aniversário em parque e praça é justamente curtir o “cenário próprio” que eles oferecem. Portanto, vamos maneirar na decoração. Cuidado com materiais poluentes como balões, produtos em látex, papéis, para não prejudicar o meio ambiente. Também é importante atentar para evitar cenários que normalmente são usados em ambientes fechados – as pessoas que não fazem parte da festa sentem-se intimidadas com aquele espaço “transformado” em dia de aniversário.

Comidas:
A lista de convidados tem 40 pessoas? Prepare a comida para mais. Considere que você pode ter “novos convidados” no parque. Não, minha gente, não é de bom tom presenciar outras famílias no mesmo espaço em que você está, inclusive com crianças que não percebem a diferença de “fazer parte ou não da festa”, e não oferecer um suco, um pão de queijo, um pedaço de bolo. Afinal, somos mineiros ou não? E além disso, ninguém vai ficar menos rico ou mais pobre se incrementar um pouco mais nos comes da festinha.

Brinquedos:
O parque por si só já é uma diversão! Deixe com que as crianças explorem o lugar. Mas, se você faz questão de colocar outros atrativos, como cama elástica ou piscina de bolinhas, permita que todas as crianças que estejam no parque possam brincar junto.

Boas maneiras:
Chegou uma família que você não conhece para brincar no parque? Convide-a para participar das brincadeiras da festinha. Não vai doer nada e você vai proporcionar muita alegria para outras crianças. É isso que fazem as pessoas gentis, as pessoas que querem compartilhar e disseminar a alegria. E fazer aniversário em parque tem dessas vantagens: dá para fazer felizes, não apenas os convidados, mas os demais que ali estão. Aproveite a chance de fazer o bem!

Mobiliário e suportes:
Se você quer tornar o espaço mais aconchegante para os convidados, tome o cuidado para que o mobiliário não interfira na área comum do parque, prejudicando os demais frequentadores. O mesmo cuidado vale para os utensílios usados para os comes e bebes – já teve gente levando inclusive taças de vidro para o parque, que acabaram se quebrando e gerando aquele desconforto que vocês já imaginam. Muitos descartáveis também geram um volume gigantesco de lixo, então, pense em ideias criativas para a pessoa utilizar o mesmo copo, comidinhas tipo finger foods (que podem ser comidas com as mãos) etc.

Lixo:
Por inúmeras vezes já estivemos em parques em dias pós festas e nos deparamos com muito lixo não recolhido. É responsabilidade do organizador juntar todos os dejetos e dar o fim correto, não apenas deixar o saco perdido no meio da grama. O parque é nosso e de todos, vamos cuidar bem, né?

Lembrancinhas:
Lembre-se de fazer um número maior também e distribuir para as crianças de “fora” que participarem da festinha do seu filhote. Isso, minha gente, chama-se gentileza e é algo que se multiplica. Certamente as pessoas que fizerem parte desse momento especial vão se lembrar com carinho de terem sido bem recebidas em uma festinha de quem ela não conhecia. E, vocês sabem, gentileza gera gentileza.

Agora, se você não está a fim de dividir os comes e bebes, não está disposto a cumprimentar e deixar à vontade as pessoas de fora que estiverem no parque ou não admitir dar lembrancinhas pra crianças que nunca viu na vida, por favor, pense outro lugar para fazer a festinha do seu filho – opções não faltam e as famílias agradecem!

Quer saber como organizar uma festa em parque? Clique AQUI.

 #repost
primeira publicação: set/14
atualizado em out/17