Uma semana toda especial para brincar! Não há nada mais sério na vida de uma criança do que o brincar. Brincando, ela se descobre e se constrói como ser humano. Brincando a criança externa todos os seus sentimentos. E mesmo com o passar dos anos, inseridos em uma cultura consumista, muitas das brincadeiras que fazem mais sucessos eram aquelas que nossos pais e avós também brincavam. Os clássicos boneca, carrinho, corre-cutia, pega –pega, pique esconde, amarelinha, pular corda, passar anel, cantigas de roda, quebra-cabeça, jogo da memória, dominó, vareta, elástico etc.

Por que será que essas brincadeiras fazem mais sucesso do que aquele brinquedo caro? Porque nelas a imaginação vai mais longe, a capacidade de criar é maior e a possibilidade de ultrapassar seus limites físicos e cognitivos é grande.

Por mais que algumas das brincadeiras tenham regras, elas não limitam a imaginação da criança, elas deixam a criança livre para correr, usar a criatividade e transpor suas limitações físicas e cognitivas. Por isso, fazem sucesso, independente da época. Essas brincadeiras clássicas batem inclusive os jogos eletrônicos com as crianças de até 8 anos.

Muitas vezes um brinquedo caro limita a brincadeira e por isso são deixados de lado em pouco tempo de uso. Quando for escolher um brinquedo para dar para alguma criança, pense antes quais as possibilidades de brincadeira que ele permitirá a criança ter. Se ele tiver uma ou duas possibilidades apenas, parta para outra opção, pois a criança ficará muito mais feliz e brincará por muito mais tempo com ele.

A melhor coisa que os pais podem fazer para seus filhos é permitir que ele brinque muito. E reforço que o brincar de hoje refletirá na pessoa que ele será no futuro. Então incentive muito o brincar livre, deixe ele escolher seus brinquedos e suas brincadeiras. E sempre incentive a criatividade!