Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a obesidade é uma doença crônica na qual o excesso de gordura corporal se acumulou a tal ponto de afetar a saúde. A obesidade é ainda o resultado de ingerir mais energia do que a necessária. Não há dúvidas que este consumo excessivo pode iniciar-se em fases muito remotas da vida, nas quais as influências culturais e os hábitos familiares possuem um papel fundamental.
O que causa obesidade?
• Hábitos alimentares
• Sedentarismo
• Fatores metabólicos e endócrinos
• Genética
Por que a obesidade infantil aumentou tanto recentemente?
Um dos grandes vilões da obesidade infantil são os alimentos industrializados. Eles são práticos, rápidos, tem longa durabilidade, são bem aceitos e tem preços acessíveis. A televisão incentiva porque os alimentos industrializados geram muito lucro, as mães incentivam porque não tem tempo para se dedicar à alimentação da família, e as crianças amam porque tem personagens infantis, vem com surpresa para colecionar, são coloridos e  saborosos. Estes alimentos na maioria das vezes são ricos em calorias, açúcar, sódio e gorduras saturadas que fazem mal à saúde. Nos Estados Unidos, por exemplo, estima-se que nos últimos 100 anos o consumo de gorduras tenha aumentado em 67% e o de açúcar em 64%. Já o consumo de verduras e legumes diminuiu 26% e o de fibras, 18%.
Quais riscos uma criança obesa corre?
• Psicosociais: Preconceito, baixa auto-estima, isolamento e chance de desenvolver distúrbios alimentares como anorexia, bulimia ou compulsão alimentar.
• Saúde: Diabetes, hipertensão, dislipidemia e doenças cardíacas.
Pais magros podem ter filhos acima do peso?
Sim, os hábitos alimentares exercem mais influência que o fator genético. Isto vale tanto para peso, quanto para altura. Um estudo divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) revelou que uma vida saudável nos cinco primeiros anos é mais relevante para o crescimento infantil do que características étnicas ou genéticas. Para chegar a este resultado, a OMS acompanhou mais de 8 mil crianças em 6 países, inclusive no Brasil.
Fome Oculta, o que é isso?
É quando a criança consome muitas calorias vazias, ou seja, alimentos que matam a fome, mas não nutrem o corpo. Após uma refeição pobre em nutrientes a vontade de comer passa, mas as necessidades de determinadas vitaminas e minerais permanecem. Trata-se de uma saciedade maquiada que pode ocorrer em magrinhos e gordinhos. Portanto, é possível uma criança ser obesa e desnutrida ao mesmo tempo.
Toda criança obesa será um adulto obeso?
Nem sempre, isto não é uma regra. As chances são maiores. Cerca de 50% de crianças obesas nos primeiros seis meses de vida e 80% das crianças obesas até os cinco anos de idade, permanecerão obesas ou poderão desenvolver obesidade na vida adulta. Isso porque, além de carregarem os determinantes genéticos, tendem a manter os erros nutricionais e socioculturais que desencadeiam e agravam os mecanismos geradores do ganho excessivo de peso. Portanto, embora o tratamento medicamentoso não seja necessário durante essa fase, todas as medidas educacionais são essenciais para a prevenção da evolução do quadro de obesidade.
Como prevenir a obesidade infantil?
• Tendo uma alimentação saudável e balanceada.
• Consumindo alimentos ricos em fibras como cereais integrais, frutas e legumes e verduras.
• Evitando os alimentos industrializados, principalmente as guloseimas.
• Preferindo brincadeiras que exijam movimentos como correr, pular, nadar…
• Praticando atividade física regularmente.