Se eu pudesse pedir um presente de Dia das Mães, eu pediria colo.

Pediria um cafuné, desses bem feitos, que só a mãe da gente sabe fazer.

Eu pediria um leite quentinho, desses que saíam com chocolate logo que a gente acordava de manhã.

Se eu pudesse pedir um presente, pediria uma luz amarela dentro de casa, uma sopinha na mesa e um olhar carinhoso escutando todas as minhas histórias no fim do dia.

Coisas de mãe.

Coisas que nos trazem uma saudade danada, e uma vontade bem grande de fazer algo, pelo menos um pouquinho parecido com tudo isso, nos dias de hoje, para os nossos filhos guardarem na memória.

Um colo, um cafuné, um leite, uma sopinha. Não precisa muito. É só diminuir a marcha, abaixar o som, andar mais devagar, olhar para os lados com calma e respirar fundo, respirar pausadamente.

Olhar nos olhos, escutar com atenção, deixar o celular guardado na bolsa durante um bom tempo. Dar as mãos, passear pelo bairro, conversar, tocar.

Desejamos que todas a mamães proporcionem, cada dia mais, esses momentos de conexão profunda com os filhotes.

A gente acredita que todas nós, mesmo com a corrida rotina, podemos conseguir. E, pode apostar, vai valer lindas lembranças lá na frente.

Feliz todo dia das Mães!

 Foto: Duorama