Foto: Duorama

Muita gente acredita que gelatina faz bem pra pele e que por conter colágeno é uma boa fonte de proteínas. Ledo engano… A gelatina comercializada nos mercados é uma mistura de açúcar, corantes artificiais, conservantes, adoçante e proteína em quantidades muito baixas, apenas para gelificar, não sendo suficiente para trazer benefícios.

Numa avaliação feita pela PROTESTE, produtos de 120 gramas tinham entre 0,76 a 2 gramas de colágeno apenas. Não bastando a pequena quantidade, esse colágeno ainda é de baixa biodisponibilidade, ou seja, não consegue ser bem aproveitado pelo corpo. Para o colágeno surtir algum efeito, o recomendado é que o adulto consuma cerca de 10g por dia e, mesmo assim, precisa ser o hidrolisado. A hidrólise torna os fragmentos proteicos menores e é justamente isso que garante a absorção do produto pelo organismo (cerca de 90%).

Agora, no caso das crianças, a perda diária de colágeno é bem menor que no adulto, e não há necessidade de se preocupar com essa reposição. E para elas os malefícios do excesso de açúcar e aditivos presentes na gelatina são muito mais representativos e danosos. Um custo benefício que não compensa, nem de longe.

Então, as crianças nunca devem comer gelatina?
Lembre-se que ela nada mais é do um suco em pó misturado com a gelatina. Daí pergunte-se: com que frequência eu deveria dar suco em pó para o meu filho? Essa é a resposta. Se você quiser dar gelatina à sua criança para variar o cardápio, uma dica é comprar a gelatina sem cor e sem sabor, e misturar a um suco natural.