A criança vai ao dentista e descobrimos que ela tem uma cárie. Ou que tem que tirar um dentinho que não cai. É hora de se preparar para que a consulta seja o mais suave possível. E além da atuação do profissional, que se prepara para fazer o melhor, o responsável tem um papel determinante.

Cada palavra deve ser pensada. Porque a criança “pesca” tudo no ar. E é por isso que é importante que os adultos acompanhantes da criança em tratamento odontológico tomem certos cuidados. Isso vai contribuir com o bom desempenho de todo uma situação, que é delicada por ser com uma criança, e por termos que trabalhar em uma área tão pequena e particular como é a boca.

Então vão aqui algumas dicas que podem ajudar:

  • Se a criança demanda tratamento dentário, vamos tirar todas as dúvidas possíveis com o profissional antes do dia da intervenção. Isso dará segurança maior para a família e evitará que a consulta se prolongue com explicações, que aliás são de grande importância. A sua confiança no profissional vai fortalecer o seu filho.
  • Procure ser positivo com a criança. Não aborde sobre a consulta de forma negativa, deixando a criança ansiosa.  Cerque-se de cuidados para que os familiares e pessoas do convívio também não o façam. Se for comentar a respeito, fale algo simples como:

-O dentista sabe tudo de dente e vai explicar para a gente direitinho como se trata do dentinho.

-O dentista só trata de criança e faz tudo de um jeito bem legal.

  • No dia da consulta venha apenas com as pessoas combinadas. Um irmãozinho ou um acompanhante a mais e não preparado pode tumultuar a consulta.
  • Algumas crianças trazem consigo um forte sentimento de medo, e se for essa a situação de seu filho, comunique previamente ao profissional.
  • Dê ao dentista subsídios para distrair a criança durante a consulta como o filme, a música ou o assunto de que ela gosta.
  • A criança deve vir descansada, nada de situações estressantes antes ou depois da consulta como vacina, por exemplo.
  • Reforce a ideia: a criança irá ao dentista pois ele é amigo e vai cuidar dos dentes.
  • Você pode fazer combinados de algo que agrade a criança para após a consulta, de forma desvinculada com o bom comportamento. Por exemplo: “estava pensando em depois do dentista tomarmos um sorvete.”
  • Não use o momento do tratamento para ficar prometendo coisas. Mas você pode dizer para a criança: “-Olha, daqui a pouco vamos tomar um sorvete, lembra que combinamos?” E mesmo que o comportamento não seja tão bom como o esperado, o combinado deve ser cumprido. Assim, da próxima vez que ela for ao dentista, além de lembrar do carinho que recebeu, mesmo que o procedimento tenha sido difícil, associará este momento agradável com o dia do dentista. E vamos assim construindo uma relação cada vez melhor.
  • Durante o tratamento fique atento aos comandos do profissional. Você poderá ser solicitado para ficar um pouco atrás, ou junto à criança. O profissional fará a leitura dessa necessidade e poderá trocar uma ideia com você ou até com seu filho, dependendo da idade. Poderá lhe pedir para dar as mãos para a criança, por exemplo.
  • Finalizando a consulta, reforce as situações positivas que a criança vivenciou. Não comente perto da mesma as partes difíceis que possam ter ocorrido durante o tratamento. Elogie que ficou com o dente bem cuidado, que abriu o bocão. Lembre dos bonecos com que brincou, dos livros que leu, das emoções positivas que vivenciou.

Hoje os recursos da odontologia, com tratamentos menos invasivos, favorecem para que esses momentos sejam mais tranquilos. E o bom senso e a criatividade são muito bem vindos, contribuindo com o sucesso do tratamento. A criança agradece!