Você conversa com as crianças sobre dinheiro? Este assunto deve ser introduzido de forma natural nas situações cotidianas da família.

A medida em que crescem, o entendimento das crianças sobre a função do dinheiro aumenta e os cuidadores têm a responsabilidade de ensiná-las a respeito do valor do que é adquirido, sempre respeitando sua capacidade de entendimento. Por exemplo, é  necessário explicar sobre a importância de não se desperdiçar alimentos, dos cuidados com os brinquedos e com as roupas, de se poupar para viajar ou passear, e também para eventuais emergências.

É necessário também que expliquemos às crianças a relação entre dinheiro, satisfação e trabalho, colocando o dinheiro como uma consequência de nossas atividades. É fundamental que os pequenos entendam que não trabalhamos apenas pelo dinheiro, para evitar cobranças no sentido “se você trabalha todos os dias, tem dinheiro sempre para comprar o que eu quero”.

E quando o assunto é a falta de dinheiro? Também deve ser tratado com naturalidade. É necessário cautela nesta conversa, para que as crianças se sintam seguras no empenho dos responsáveis em resolver a situação. Se as crianças forem maiores, demonstrando entendimento sobre a situação, é importante participá-las para que ajudem a família a economizar. Lembrando sempre sobre a necessidade de tomarmos atitudes coerentes com discurso, evitando despesas eventuais, e compras supérfluas.

Uma ferramenta que auxilia na educação financeira é a mesada. Através dela, a criança começa a entender o que é administrar o dinheiro. É fundamental que ao ser implantada na dinâmica família, sejam sejam realizados combinados, tais como: período referente, quais gastos irá suprir, o que será feito se o dinheiro acabar antes do prazo e quais as vantagens da criança poupar.

O assunto deve ocorrer de forma natural e de acordo com a capacidade de entendimento das crianças.  Mas não se esqueça, não há nada mais eficaz na educação financeira do que o exemplo dos cuidadores. A criança aprenderá a lidar com o dinheiro com você e dará a mesma importância que você dá a ele.