Foto: Patrícia de Sá

 

Você conhece os benefícios para a família em adotar um animalzinho para ser companheiro das crianças? Você já teve algum – cachorro, gato, papagaio, peixinho, dentre outros – que a criançada adora?

Além de ser terapêutico, já que convivendo com animais de estimação a rotina da criança fica mais leve e alegre, os animais são amigos fiéis e cheios de graça. Pesquisas realizadas pela Universidade de Melborne na Austrália concluíram que crianças que conviveram com algum animal de estimação até cinco anos de idade, se tornaram mais resistentes a doenças respiratórias e alérgicas. Além do ganho biológico, temos também um conjunto de benefícios psicossociais.

Um deles é a aprendizagem do sentimento responsabilidade. Ao ter um animalzinho, a criança junto da família precisa se organizar para cuidar dele. Então, orientado pelos adultos, a criança começa a desenvolver maior autonomia e responsabilidade para com os cuidados diários da criação. Como, por exemplo, cuidar da higiene do bichinho, da sua alimentação, brincar com ele etc.

A presença de um animal de estimação em casa pode favorecer e aprimorar também o desenvolvimento de laços afetivos e a experimentação de sentimentos mais diversos, como alegria, capacidade de negociar e respeitar o espaço do outro, colaboração.

A partir da convivência com os animais a criança amplia suas lentes sobre o que é relacionar-se, podendo desenvolver maior sensibilidade, vivência e compreensão dos sentimentos de solidariedade, generosidade, afeto, zelo e carinho.

O desenvolvimento físico dos pequeninos também é um importante aspecto a ser levado em conta como benefício, pois geralmente, os animais gostam de brincar, de passear, e as crianças podem aproveitar essas energias para reinventar a roda do brincar. E aí, ‘bora pensar nesta ideia? Se você já tem uma bichinho conte-nos  como é a sua experiência!