Foto: Pedro Fonseca
“Filhos são universos complexos e não demora a gente perceber que eles não são exatamente uma extensão de nós. Se é difícil equalizar os nossos desejos, vontades e dificuldades, imagina a de uma criatura que ainda não tem todas as ferramentas que nós adultos temos? Educar uma criança é um desafio gigante para o qual não somos preparados. Vamos fazendo tudo por tentativa e erro, repetindo padrões (nem sempre saudáveis), buscando na memória ou no esquecimento como reagir diante de determinadas situações. Muitas vezes, nos tornamos pais sem nem curar a criança que fomos e isso pode dificultar bastante as coisas.” Lua Fonseca (nodramamom)
A medida que a criança cresce, descobre o mundo e a si mesmo, e começa a demonstrar a sua personalidade, nós, pais, também vamos nos redescobrindo. A cada desafio, surge um novo questionamento sobre se estamos contribuindo de forma correta para a formação da pessoinha. E isto independente de ser o primeiro, o segundo ou quinto filho. Não existem manuais ou receitas prontas sobre como criar filhos, mas há caminhos. E é sobre escolhas que temos conversado em nossos encontros no Entre Nós. Acreditamos que o caminho para uma maternidade e uma paternidade equilibrada passa por um olhar rigoroso para quem a gente é. Educar com respeito e empatia exige uma dedicação contínua e a busca pelas respostas está dentro de nós. Precisamos ter a intenção de mudar para transformar a relação. A Disciplina Positiva entra nesta dinâmica como um suporte – são mais de 50 ferramentas – para que os princípios na relação entre pais e filhos sejam sempre o respeito, o amor, a confiança e a conexão.
Para refletirmos mais a respeito, entrevistamos a Lua Fonseca, que estará no próximo Entre Nós, em julho. Educadora parental de Brasília, mãe e facilitadora de diálogo familiares, Luanda Barros Fonseca é formada pela Positive Discipline Association e pós graduada pela Escola da Parentalidade de Portugal. É mãe de João, de 9 anos, de Irene, de 5, de Teresa, de 4 e de Joaquim, de 1 ano ♥︎.

Conte um pouco sobre a Parentalidade e Educação Positiva como prática educativa e os benefícios para as famílias?
A Parentalidade e a Educação Positiva são um convite para que os pais e educadores revejam modelos de relação com as crianças do nosso convívio. É algo transformador se a gente se permitir rever as nossas atitudes e acreditar no respeito como fio condutor da educação.

Uma das principais críticas que ouvimos é sobre a crença de uma educação permissiva, a partir do momento em que damos espaço e voz às nossas crianças. Você poderia explicar a visão respeitosa da Educação Positiva?

Os pais têm muito medo de ao dar espaço e voz para a criança, eles percam o controle e a autoridade. Mas a questão é justamente essa: será que é sobre manter o controle ou ser essa figura de autoridade que ganha no grito, no medo? Essa é a reflexão que devemos fazer. Os adultos precisam estabelecer limites para que as crianças se desenvolvam com segurança, mas é preciso também dar autonomia, observar. Se a gente basear a nossa relação com as crianças no autoritarismo, corremos o risco de não ensinar habilidades sociais para elas e ver um rompimento emocional muito cedo. Além disso, é preciso entender que a permissividade não tem a ver com excesso de liberdade. Tem a ver com a dificuldade dos pais de frustrarem essa criança e se tornarem reféns dessa relação.

Foto: Carolina Pires

Nas suas vivências como educadora parental e mãe, quais são as principais angústias das famílias? Como lidar com elas?

Os pais parece que não acreditam muito no processo de crescimento. Existe uma necessidade de resolver questões de forma imediata, com receitas prontas. E isso não acontece. Não existe nem receita e nem respostas rápidas para mudanças comportamentais. É preciso se dedicar, arregaçar as mangas e esperar para ver, como uma árvore que se planta. Acho que isso vem de um retrato da nossa sociedade imediatista mesmo. É preciso remar contra a maré, lembrar de respirar e aproveitar a viagem.

Há mudanças na forma de educar pela Parentalidade e Educação Positiva crianças em diferentes idades?

Claro! A cada etapa do desenvolvimento infantil a gente vai utilizar uma determinada forma de abordar essa criança, de expor os sentimentos, de perguntar. Por mais inteligente que seja uma criança aos dois anos, é fundamental a gente lembrar que ela só tem dois anos.

Como mãe de 4 filhos, como você tenta manter a calma para conduzir os comportamentos desafiantes?

É importante falar que nem sempre a gente consegue manter a calma. Mas um recurso que uso muito é a honestidade emocional: estou cansada, trabalhei muito, já esta tarde…Essas coisas me deixam chateadas, preciso da colaboração de vocês. E respirar é sempre bom!

Por que é importante a mãe olhar para si? Se falta tempo, como conseguir uma brecha para olhar pra gente?

 

Tenho pensado muito sobre essa questão. O tempo para a mãe não pode entrar como mais uma angústia na sua lista imensa de atividades. Às vezes, leva tempo para conseguirmos organizar uma agenda pessoal e isso precisa ser entendido. Então, é importante a mãe buscar pequenos prazes, momentos simples, mas que trazem paz, trazem uma conexão dela com ela mesma. Isso pode ser algo simples como um bom banho ou algo mais elaborado como uma massagem, uma viagem.
Você acredita que o caminho para um relacionamento respeitoso com os filhos é nos autoeducar? Como você busca o autoconhecimento?
Acredito que o caminho para um relacionamento respeitoso com os filhos é nos autorregular. Cabe a nós, adultos, entendermos que estamos no controle, mas não controlamos tudo.
Nosso papel é o de orientar, gerir as emoções e frustrações dos nossos filhos e para isso, a gente precisa cuidar das nossas emoções. Eu busco autoconhecimento através de terapia, de yoga e que questionamentos diante das certezas.

Lua Fonseca estará em Belo Horizonte, nos dias 21 e 22 de julho, para participar do Entre Nós – o mais novo projeto do Na pracinha em parceria com o Momis.cool.

> 21/07/18 | Workshop Parentalidade e Educação Positiva
Turma 1 (9h às 13h) | Turma 2 (14h às 18h)
Local: Guaja

O Workshop é uma oportunidade de conhecer os ensinamentos da Disciplina Positiva, entender os comportamentos desafiadores das crianças, trazendo consciência do nosso papel como adultos nas relações com os pequenos. São 4 horas de duração, onde os participantes trocam experiências, participam de vivências e entram em contato com a filosofia e ferramentas da Disciplina Positiva.

Serão abordados:
:: o pensamento e conceitos da Parentalidade e Educação Positiva
:: a importância da consciência dos papéis adulto/criança na relação parental
:: como entender o que está por trás dos comportamentos das crianças
:: as principais ferramentas da Disciplina Positiva

São 4 horas de duração, onde os participantes trocam experiências, participam de vivências e entram em contato com a filosofia e ferramentas da Disciplina Positiva.

Valor: R$ 200,00 (individual) e R$ 360,00 (casal)
Inscrição: VAGAS ESGOTADAS

> 22/07/18 | Roda Autocuidado e Reconexão Materna: como se reencontrar depois da chegada dos filhos
9h às 11h30
Local: Corre Cutia

Você sabe o que é importante para você? Consegue entender o que te abastace, o que te recarrega? Consegue saber o que se perdeu com a chegada dos filhos ou que de novo entrou em sua vida? Por que é tão dificíl se resgatar das profundezas maternas e por que esses questionamentos nos levam para pontos tão distantes de quem a gente era? O processo de reconexão da gente com a gente mesma começa com um olhar humanizado sobre nossos limites. Não precisamos dar conta de tudo e isso não nos classifica como menos mãe. Nesse processo de se humanizar, o autojulgamento é nosso pior inimigo. É quando não conseguimos atingir metas maternas perfeitas, que começamos a entrar em parafuso. Pára. Respira. Se permita falhar e depois, se refazer. O nome disso é autocuidado. E olha: é de graça. É importante se olhar novamente como mulher, para além dos filhos. Mas dá trabalho e nós somos nosso maior obstáculo.

Serão abordados:
:: a importância do autoconhecimento e de se humanizar
:: o autojulgamento e as expectativas da maternidade
:: como criar momentos de conexão e cuidado conosco

Valor: R$ 90,00
Inscrição:  sympla