Estava preparando o texto pra contar um pouco para vocês sobre a última feira de trocas no dia da criança, quando me deparei com o relato da minha amiga Laís sobre a sua percepção em como foi – para ela e para o filho – participar do evento: “Véspera do dia da criança, Luca me perguntou qual brinquedo eu ia dar pra ele. Nenhum. ‘Filho, vai ter a feira de trocas amanhã, lembra?’ ‘Lembro’. Ele separou os brinquedos que gostaria de passar pra frente. Eu conversei sobre expectativas. Parque, bolha de sabão, contação de história, terra, encontros e sim, 3 trocas de brinquedos feitas por ele. A sensação do novo, nele e nas crianças que ficaram com os brinquedos que eram dele, totalmente suprida.Obrigada @napracinha por promover mais essa experiência pro Luca, pra mim e pra todo mundo que se dispôs a ter um dia da criança assim.”

A feira de trocas é uma mudança de olhar. Propõe-se uma reflexão sobre o valor que temos dado – e ensinado a nossas crianças – sobre as “coisas” e a importância dos momentos. Para a criança o novo está na surpresa, no diferente, na brincadeira e não necessariamente no que sai de uma caixa.  Os momentos compartilhados é que ficam guardados para sempre na memória afetiva ao longo da vida, e estas vivências contribuem e muito em quem nos tornamos.

A cada troca, a cada sorriso, este sentido é reforçado. Fico muito contente em perceber claramente isto acontecendo no parque. Ainda teve um montão de doações para o Projeto Vó Dolores, a meninada fez bonito!

A Laís, além de ter levado o Luca para participar, também registrou o evento, espia só que lindezas de imagens:

 

Ficha técnica:
Cenografia: Brincar lá fora
Contação de histórias: Adê Melo e Hugo Silva
Bolhas de sabão: Formiguinhas Picnic
Fotografia: Tanto Mar Fotografia