Foto: Unsplash | Kari Shea

 

A alimentação das crianças na Ceia de Natal não deve ser considerada um problema. Preparar o jantar (ou o almoço) envolve pensar um cardápio que atenderá várias pessoas e gostos, inclusive os pequenos. A nutricionista Laura Rangel compartilha algumas dicas:

> Para os menores, a família deve ter uma refeição “especial” (separe algumas porções das comidinhas) e é importante também respeitar seus horários de alimentação para não interferir na rotina.

> Para as crianças maiores de um ano, que já comem a mesma comida da família, é possível adaptar as receitas com ingredientes saudáveis (e fará bem pra todo mundo). Mas, é necessário alguns cuidados:
:: com alimentos picantes e temperos muito diferentes;
:: com alimentos que podem provocar engasgos (nozes, castanhas etc, preparações com palitos ou espinhos);
:: evitar o excesso de doces: tente não oferecer as guloseimas que os adultos estão beliscando. Frutas picadinhas podem fazer esta função;
:: troque o refrigerante pelo suco de frutas;
:: alimentos que ficam por muito tempo fora da geladeira precisam de atenção, principalmente, saladas com carnes desfiadas (como o salpicão), carnes com molhos, molhos de salada e preparações que possuem ovos. Os adultos possuem uma capacidade maior de reagir a possíveis contaminações e que para as crianças pode agravar.
:: as crianças possuem horário para se alimentar, e mesmo sendo maiores e com certa flexibilidade, é importante deixar algo separado para evitar que se encham com belisquetes.
:: se o número de crianças for grande, é interessante pensar em uma opção de cardápio direcionada a elas, mais leve e simples como frango assado, arroz, farofa e salada, por exemplo;

É sempre importante pensar nas crianças. O respeito aos pequenos envolve também incluí-los nas confraternizações familiares, considerando seus gostos e preferências. Não se esqueça de conversar com os pais sobre alergias alimentares.

Uma ótima ceia para todos.