Por que nos sentimos exaustas?
Este foi o questionamento que guiou nossa conversa na última roda do Entre Nós. Juliana Parada conduziu o encontro a partir de sua expertise clínica, para que cientes da dimensão do problema, que pode seguir para um viés de adoecimento psíquico e físico, pudéssemos dividir nossas inquietações sobre o sobrepeso. “O principal aprendizado materno é aceitar as coisas como são, as vezes perder o controle é algo bom.”

A partir deste conselho, Juliana apontou caminhos para a prevenção do esgotamento mental, e juntas compartilhamos experiências, possíveis saídas para os embaraços cotidianos.

Foi uma troca tão rica, que resolvemos listar algumas ideias para que vocês também possam seguir neste caminho para um maternar mais equilibrado e consciente:

# as vezes devemos deixar o caos acontecer
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
# o ideal é focarmos na solução do problema
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
# somos frutos das relações, por isso é importante diminuirmos o auto julgamento e também nos colocarmos no lugar do outro
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
# devemos nos humanizar, abraçar a nossa vulnerabilidade, para que nossos filhos percebam nossos defeitos e falhas
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
# avaliando sempre o cotidiano, podemos identificar o que não damos conta, os nossos limites

# busquemos uma rede, que saibamos pedir e ser apoio
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
# permitam-se ficar indisponível, ter um tempo para cada vocês, precisamos ser prioridade
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
E por fim, a leveza se encontra nos respiros, em instantes, em momentos. Há dias ruins, e dias muito bons.

“Ser capaz de se auto-organizar é reencantar a vida.”
Lama Padman Santem ♡