“- Papai, um dia você deixa a gente te ver chorando?
– O papai chora de alegria, quando está emocionado.
– E de tristeza?”

Olívia, minha caçula, questionou o pai durante o café da manhã recentemente. E, claro, nos pegou de surpresa, mesmo ele sendo um homem sensível, que se envolve nos cuidados afetivos das filhas.

Muitos de nós foram criados para serem fortes, inteligentes, corajosos. Pensar em “vulnerabilidade” era associado a fraqueza, fragilidade e a emoções como medo e vergonha, algo a ser evitado.
A paternidade/maternidade é uma transformação se propormos a nos libertar, a desconstruir conceitos que já não fazem mais sentido pra gente.
Para que a conexão com as crianças que tanto necessitamos aconteça, temos que nos tornar vulneráveis e permitir sermos vistos. A vulnerabilidade neste contexto significa a disposição de se expor, de se expressar de uma forma autêntica e franca, de ser honesto emocionalmente.
É um ato de coragem, não no sentido de bravura, mas a de contar a nossa estória, de quem somos. Ser compassivos com a gente mesmo e mostrar as nossas imperfeições. Os filhos são um motivação para nos conhecermos melhor.

Para Brene Brown, pesquisadora americana, vulnerabilidade não é uma fraqueza, mas sim a melhor definição de coragem. Não é algo bom ou ruim, é o centro das emoções e sensações. Se formos autênticos com compaixão, iremos conseguir nos conectar verdadeiramente ao outro.

Este será o tema do próximo encontro do Entre Nós. Uma roda de conversa sobre como olhar com mais gentileza e compaixão pra gente mesmo pode nos ajudar a conviver com os filhos com mais presença e amor, mesmo nos dias mais difíceis.

Para estimular a reflexão, convidamos Ana Holanda para estar entre nós e juntas conduzirmos essa conversa. Ana é mãe de gêmeos, jornalista e escritora, editora-chefe da Revista Vida Simples. 

Será uma troca sobre: 
. A exigência da perfeição que a gente se impõem;
. Auto conhecimento;
. A relação entre Gentileza, Compaixão, Coragem e Vulnerabilidade;
. Como a Vulnerabilidade auxilia na conexão e na construção de uma relação transparente com as crianças.

O encontro será na sexta-feira, 23/8/19, das 19h às 21h30, no Espaço Sentir Mulher (R. do Ouro, 1488 – Serra).
As vagas são limitadas. O valor do 1º lote é R$ 96,00 e as inscrições acontecem neste link – aproveite!