Foto: Duorama Fotografias

Para exercitar o reparo, se (re)encantar com a natureza. Marcio Vassalo, escritor, diz:
“O encantamento não vem, não, ele já está na gente, mas geralmente está desacordado. Em geral, as pessoas estão muito apressadas, muito cheias de urgências, cheias de prazos, tormentos, expectativas e frustrações, muitas vezes com fortes motivos para isso. Só que, motivos à parte, na realidade, a maioria das pessoas não se assombra mais com as pequenas cenas do dia-a-dia, como se, para ser extraordinária, uma cena precisasse sempre ser escandalosa, espetacular e cheia de holofotes. É claro que há cenas, paisagens e pessoas que são escandalosamente encantadoras e obviamente bonitas. Mas o encantamento não mora só nas badaladas belezas dos cartões postais.
O encantamento mora, de fato, no olho da gente e nas possibilidades que temos de ver grandeza onde quase ninguém vê, nos pequenos momentos do cotidiano. Então, se você consegue exercitar o reparo, se consegue dar movimento no seu olho, se você se desapega de olhar só para onde todo mundo diz que é bonito e importante olhar, está dando um passo essencial para viver em estado de poesia. E viver em estado de poesia não significa passar o dia todo flutuando por aí. É viver com encantamento e beleza, olhando para as coisas e as pessoas, sempre que possível, com olhos de primeira vez. É viver com encantamento, apesar dos vazios, das perdas, dos desânimos, das decepções, dos cansaços, das irritações, apesar de todos os sentimentos ruins que fazem parte da vida. Porque toda sombra só existe para realçar a beleza.”
Palavras que reverberam ♥︎ Esse maravilhamento pela natureza faz muito sentido para mim, e é rumo que a gente segue aqui em casa exercitando todo dia. E para você?