* atualizado em nov/21
foto colorida. uma jaqueta jeans pendurada em uma arara com uma etiqueta escrita em inglês "good vibes only"
crédito: duorama

A infância tem sido terreno para o consumo. Quando se descobre a gravidez, os meses de gestação incluem  planos para as compras que precisam ser feitas. A criança nasce, cresce e perde roupas e calçados no mesmo ritmo. Muitas vezes, é presenteada com mais itens do que necessita. Tem o brincar incentivado por quantidade de brinquedos. E, geralmente, se desinteressa pelo brinquedo ou livro em pouco tempo.

(Re)pensar uma infância sem excessos inclui adotar o consumo consciente e colaborativo. Comprar – vender e trocar – peças de vestuário, livros e brinquedos de segunda mão é um caminho. Vivemos uma crise ambiental, a indústria da moda faz parte do problema (desperdício de insumos, consumo de recursos naturais, incentivo ao consumo) e cabe a nós, consumidores, uma (grande) parcela dessa culpa. Repensar nossos hábitos se faz urgente.

Quando indicamos as compras em brechó pela primeira vez nesta pracinha, ainda havia muita desinformação e preconceito a respeito. Felizmente, isso mudou. Itens de segunda mão são sempre uma boa pedida. As lojas fazem curadoria das peças, então encontramos muitas opções em bom estado a preços reduzidos. Eu sou adepta da compra e venda de usados para mim e para as minhas crianças.

Há opções de lojas físicas e on-lines. Se você tiver interesse em vender ou trocar, algumas lojas físicas compram suas peças, outras revendem em consignação, e há ainda a opção de criar um perfil na loja on-line e vender diretamente para interessados (para estas duas últimas práticas, a loja cobra uma taxa de comissionamento).
Já experimentei todas essas modalidades, cabe a cada um avaliar o que é mais interessante para si no momento.

É comum, durante a primeira compra, ficar receoso. Compartilho algumas dicas pela minha experiência:

– Para compras on-line, priorize a segurança. Avalie as recomendações da loja, pesquise no reclame aqui, verifique as formas de pagamento.
– Ao avaliar os produtos, cheque todas as informações quanto ao tecido, tamanho, condições, para evitar desgastes futuros.
– Em lojas físicas, avalie o ambiente como um todo, e a peça com atenção, teste os fechos, botões e zíperes.

Se você está em busca de opções, listei alguns brechós em nossa cidade e outros com atuação nacional. Ao clicar sob o nome, você será direcionado para a rede social ou site.

Lojas físicas

> Babychó – lojas física e on-line
R. Major Lopes, 7 loja 2 – São Pedro
(31) 2555 0025 |  99594 4808
https://www.babycho.com.br

>  Bebê Fashion
Rua Ceará, 1222 – Funcionários
(31) 3243-8865

> Brechozinho
R. Iole Monteiro de Lima, 11 – Castelo
(31) 99936 2195

 R. Sãozinha Baggio Coutinho, 33 – Itapoã
(31) 3427 9036

> Brechó João e Maria
Av. João Samaha, 291 – São João Batista
(31) 3494 4828

> Cresci e Perdi
R. Marilia de Dirceu, 187 – Lourdes
(31) 99527 0692> Giralook Brechó Infantil – lojas física e on-lineR. Francisco Duarte Mendonça, 807- Barreiro
(31) 2517 7767
Avenida Presidente Tancredo Neves, 2080 – Castelo
(31) 3476-8828

> Joaninha Brechó Infantil
Av. Altamiro Avelino Soares, 1091 – Castelo
(31) 3504 2129 | 98307 1760
https://www.joaninhabrechoinfantil.com.br
Outras unidades na cidade – consulte no link

> Novo Outra Vez
R. Timbiras, 2848 – Barro Preto
(31) 97519 0691> Pequeninos Boutique Brechó Infantil
Av. Petrolina, 500 – Sagrada Família
(31) 2512 6002
R. Paulo Simoni, 123 – Santo Antônio
(31) 3653 0559 | (31) 99564 6261
http://tudonovodenovo.com

> TokTrok Brechó Infantil
R. Clemente Barreto, 574 – Alipio de Melo
(31) 98758 3476

On-lines (locais)


On-lines (nacionais)


> Enjoei ( LINK da minha lojinha com desapegos)

> Troc

> RePetit

> Brincou Trocou (para brinquedos)

> Livra livros (para livros)

Leia AQUI a experiência de uma querida da nossa comunidade sobre a compra e venda de usados.