Antes de nascer, a criança teve contato com as emoções que sua mãe sentiu durante a gestação. Desde a vida intrauterina até os 7 anos de idade, a criança construirá os seus padrões emocional e comportamental frente as emoções e esses terão reflexos por toda sua vida.

Sempre que a criança apresentar uma reação ligada a uma emoção, como medo, raiva, alegria, tristeza etc, acolha-a, traduza e nomeie para ela o que é aquele sentimento. Para ensiná-la a lidar com as emoções, você precisa acolhê-la e validar este sentimento. Diga a ela que o que está sentindo é normal. E ajude-a a encontrar boas opções para lidar com esses sentimentos. Quando o sentimento for ruim, é necessário ajudá-la a encontrar uma boa saída para o que está sentindo, assim como reforçar uma atitude quando ela estiver se sentido bem.

Quanto mais nova for a criança, mais necessária será a interferência dos pais/cuidadores para construir maneiras positivas de lidar com a emoção. Aos poucos, a própria criança será capaz de encontrar boas soluções.

A forma como os pais/cuidadores lidam com suas próprias emoções também interfere na formação dos padrões emocional e comportamental da criança.  Afinal, o exemplo é a maior fonte de aprendizagem para elas. Portanto, não adianta criarmos ótimas soluções para a criança lidar com a raiva, quando a nossa própria reação é explosiva. Devemos ficar sempre atentos, pois as crianças são os nossos reflexos.

Se você não teve uma boa educação emocional, aproveite agora para adquirí-la. Será bom para você e toda sua família. Sempre há tempo para aprender a lidar com as emoções. Os padrões emocional e comportamental podem ser modificados ao longo da vida, mas para isto é necessário esforço. A primeira atitude é entender o sentimento e depois encontrar boas opções para lidar com ele. No início pode ser complicado, mas aos poucos fica mais fácil e a vida se torna mais leve e prazerosa.Faça boas escolhas!