“Um menino nasceu – o mundo tornou a começar!” Guimarães Rosa

Visitar o Museu dos Brinquedos é realizar um passeio nostálgico que resgata as nossas memórias divertidas da infância. Afinal, aquelas bonecas, ursos, carrinhos, e uma infinidade de brinquedos especiais se parecem e muito com os que a nós pertenceram. Para os nossos filhos é um mundo novo, um espaço de estímulos sonoros, visuais e até sensoriais. Nós adoramos observar as caixinhas de música (tem uma com gramofone de 1890!), os bonecos de corda e os brinquedos mais antigos de vários países diferentes.

O Museu localiza-se em uma charmosa casa integrante do patrimônio histórico de nossa capital. Recentemente, ele passou por uma reforma, que tornou o lugar um espaço ainda mais cheio de memória. A nova expografia inspirada no brinquedo “O Pequeno Construtor”. Com o nome “Tempo Será – histórias e memórias do brincar”,  tem como eixo central a experiência lúdica e de aprendizagem. Mais acessível e interativo, a visita se torna imperdível. É possível, inclusive, tocar em alguns dos brinquedos e as legendas estão mais visíveis e com fontes maiores. Em breve, haverá legendas de identificação também em versão em braile e serão disponibilizados áudio guias, oferecendo independência ao visitante cego ou com baixa visão.
Com peças históricas, desde o início do século XX até os dias atuais, o museu recebe visitas guiadas e conta com programa educativo que tem uma proposta muito legal. Conta ainda com uma brinquedoteca e um pátio super bacana para curtir livremente! Geralmente, aos sábados, há uma programação especial no período da tarde, com espetáculos infantis, por isso, vale a pena conferir a agendinha pra planejar a diversão.

Faça um convite para um passeio envolvendo muitas gerações na família, será uma experiência afetiva.

 

O que não pode faltar no passeio?
– Lanche para as crianças
– Confirmar a programação do dia para não perder nenhuma oficina!

 
Fotos: Na pracinha e Amanda Seixas
 #repost
1ª publicação: março/2012
atualizado em setembro/18