Álcool em gel, máscaras, muita conversa, patinete, bicicleta e lá fomos à pracinha. Espaço de socialização e inúmeras potencialidades para brincar livre, decidimos com consciência retornar ao convívio pelos benefícios à saúde física e mental das crianças (e de nós adultos), mas não foi simples, como tudo nesse novo cotidiano.
São muitas as realidades, (des)entendimentos, e há sim aqueles fadigados pelo cuidado, ou que aparentam não se importar – haja reflexão junto aos pequenos sobre essas atitudes… No fim do passeio, bem mais curto que o usual, o saldo foi positivo, afinal, lá fora é nosso quintal e não há combinação que mais amamos do que céu azul, sol e natureza. Ainda matamos a saudade dos avós, que só tem sido vistos assim de longe e ao ar livre. A reabertura dos espaços em Beagá para nós será vivenciada devagar, com cuidado. Nesses tempos estranhos, cada família faz suas escolhas, a gente torce muito que denominador comum seja o respeito.