A pergunta é conselho de Drummond e que abraçamos para pensar o tema da nossa próxima conversa que importa no Entre Nós ♥︎

Em meio a tantos ruídos externos e internos, desaprendemos a ouvir (a nós mesmos e ao outro). Pertencimento e vínculo são necessidades de todos nós. Como elemento de conexão humana, a escuta é encontro, nos permitindo entender quem é, de onde vem o outro, como ele vê o mundo. Demanda abertura, empatia, cuidado, sensibilidade, tempo. Disponibilidade para estar, por si e pelo outro.

Em nossa próxima roda online, vamos conversar sobre exercitar a escuta com intenção genuína, de forma afetiva e atenta. Como uma habilidade nos permite mergulhar em nós, encontrar o outro e o mundo e transformar as relações, construindo pontes. 

Para contribuir com o papo convidamos duas mulheres inspiradoras: Fernandinha Lisbôa e Babi Amaral.  Conheça mais sobre elas:

Fernandinha Lisbôa transitou entre os cursos de Direito, Marketing, Filosofia, Relações Internacionais. Foi editora executiva, trabalhou na área de contratos de um banco.  A partir da formação internacional em ThetaHealing e Barra de Acess criou o autosaber, um estúdio de tendências de comportamento emocional. Por lá, oferece práticas e jornadas para quem não busca apenas autoconhecimento mas, sobretudo, autoentendimento. 

Babi Amaral é filha de uma atriz e de um músico, se criou artista sem nem saber que aquilo que fazia por natureza e intuição tinha nome. Formada em Publicidade e Propaganda, nunca colocou os pés numa agência. Preferiu o estalar do tablado dos palcos. Hoje se divide entre a maternidade, a produção de espetáculos e o vício de ser atriz. Acredita que este último não tem cura! Evoé! 

A conversa acontece na segunda, 30/11, às 20hPara confirmar sua presença entre nós, inscreva-se aqui