Duorama Fotografias

O Na pracinha existe no coletivo. Como uma ciranda. Eu estendo a mão, você a segura, mais um entrelaça, e quando percebemos já fazemos parte da roda. Juntos, dentro dessa potência, a gente consegue seguir, um do lado do outro, de mãos dadas. ecoando a fala de emicida “é no encontro que a existência faz sentido”.  

Criei um canal no telegram para continuarmos a cadência, a força da roda, dos nossos encontros, perto mesmo de longe – a distância não é física. E esperançarmos. Onde compartilharei minha curadoria de reparos e teceremos conversas sobre infâncias na natureza e na cidade ♡
Vem comigo? Te espero aqui .