Uma pracinha de vizinhança, espaço comum e público, que tornou-se refúgio. Essa é a praça Toscana pra gente. Durante esse período de isolamento físico em meio à pandemia, respiramos ao ar livre passeando por lá bem cedinho.

Localizada no bairro Bandeirantes, recentemente, ela ganhou parquinho e uma reforma para melhor acessibilidade – e acompanhamos essa mudança brincando pelo espaço. O brincar encanta o lugar, mas se a gente botar reparo surpreende-se com encantos cotidianos: a floração do ipê rosa, as construções de joão-de-barro, os cantos dos canários que sobrevoam ali.

O parquinho conta com balanços (sendo um tem adaptado para cadeirantes), escorrega e trepa trepa. A grama sintética instalada nos faz questionar os motivos sempre (a gente gosta é de natureza de verdade).

A área plana também é boa para andar de bicicleta, patinete e patins. Pular corda, elástico e amarelinha. Também dá para subir em árvore, e criar vários brinquedos com elementos naturais.

Se você não mora na região da Pampulha, experimente com intenção e sentido os lugares perto de casa. Não se esqueça, sempre respeite as medidas de segurança sanitária,  e brinque lá fora com cuidado e responsabilidade.


“A praça Toscana tem significado muito. Caminhar até ela, foi o primeiro estímulo para mudar o estado da inércia que a pandemia nos impôs. Sair do estático e entrar em movimento. No trajeto aprendemos muito. Temos a chance de ver encantos que a velocidade e as paredes do carro ocultam. Vivenciamos a rua, observamos as casas, os jardins, as calçadas, as árvores, os bichinhos, as flores, os pés de frutas, os passantes…Chegando à praça, cerejinha do bolo! Lugar de encontro. Encontro de outros que também mudaram o estado da inércia, proporcionando aos seus e a si movimento, respiro, ar livre, integração. A praça tem significado muito. De algum modo, tem preenchido parte do vazio de socialização pela falta da escola. Proporcionou também disciplina, organização, ajuste na rotina. Tem que fazer parte dos planos do dia!”
Patrícia de Sá, fotógrafa

Quando passear por lá, opte por horários de calor menos intenso, pois ainda há muitas árvores para crescer e ampliar as áreas sombreadas.

Lembre-se sempre de seguir todas as recomendações de segurança sanitária. Leia mais aqui.