Só se é criança uma vez
Ver publicação

Só se é criança uma vez

A agenda está fixada na porta da geladeira: escola, idiomas, dança, música, reforço escolar, distribuídos por toda a semana. Os cuidadores se alternam no acompanhamento das crianças. Se antes da pandemia, o revezamento acontecia em trânsito, no contexto que vivemos hoje, essa rotina exaure online. Não é difícil encontrar famílias…
Ver publicação
9 anos desta praça ♡
Ver publicação

9 anos desta praça ♡

quando tivemos a ideia de criá-la, só queríamos dar vazão aquilo que sentíamos e acreditávamos. não haviam planos, apenas vontade. eu e miriam crescemos brincando lá fora. muitos dos afetos que guardamos de nossos tempos de criança foram na praça, na fazenda, na rua. ⁣⁣com o nascimento de nossas filhas,(re)descobrimos…
Ver publicação
Pote do tédio na quarentena
Ver publicação

Pote do tédio na quarentena

“Mãe, não tem nada para fazer…” Tédio nem sempre foi motivo de reclamações por aqui. Quando os humores oscilavam, as chateações mútuas começavam, sempre dávamos um jeito de ir lá pra fora. Agora, há 47 dias em casa, emparedadas, com saudades do nosso quintal ~pracinha~, sentindo uma confusão de emoções…
Ver publicação
A planta doce
Ver publicação

A planta doce

Pra entender a passagem do tempo que estamos vivendo, em meio as perspectivas de duas crianças, no início do isolamento “plantamos” na água uma batata doce. ⁣⁣Foram dias em expectativa. Depois de quase duas semanas, cresceram raízes, mais um bocado no calendário e um broto apontou. Agora, já por volta…
Ver publicação
Por que olhar para o céu?
Ver publicação

Por que olhar para o céu?

Para exercitar o reparo, se (re)encantar com a natureza. Marcio Vassalo, escritor, diz:“O encantamento não vem, não, ele já está na gente, mas geralmente está desacordado. Em geral, as pessoas estão muito apressadas, muito cheias de urgências, cheias de prazos, tormentos, expectativas e frustrações, muitas vezes com fortes motivos para…
Ver publicação