Lá fora – pela janela
Ver publicação

Lá fora – pela janela

O dia claresceu! – brinca Cecília, se lembrando de um livro querido. Começa o jogo de adivinha: Nublado? Ensolarado? Tem chuva (água? estrelas?) Cadê a lua, se escondeu? Fitamos o céu em busca do acerto todos os dias. ⁣O novo tempo ritmando a rotina do isolamento permite que as janelas…
Ver publicação
olhe para o céu
Ver publicação

olhe para o céu

Olhar para o céu é mantra. Fitando o alto, busco meus respiros com o coração. Aquieto meus anseios. Desacelero o piloto automático da vida. Penso sobre a rota.⁣Por consciência, responsabilidade coletiva, afeto, fico em casa. O céu tem sido espiado pela janela. Pela manhã, vira cenário para andorinhas, pombas, maritacas…
Ver publicação
A planta doce
Ver publicação

A planta doce

Pra entender a passagem do tempo que estamos vivendo, em meio as perspectivas de duas crianças, no início do isolamento “plantamos” na água uma batata doce. ⁣⁣Foram dias em expectativa. Depois de quase duas semanas, cresceram raízes, mais um bocado no calendário e um broto apontou. Agora, já por volta…
Ver publicação
Por que olhar para o céu?
Ver publicação

Por que olhar para o céu?

Para exercitar o reparo, se (re)encantar com a natureza. Marcio Vassalo, escritor, diz:“O encantamento não vem, não, ele já está na gente, mas geralmente está desacordado. Em geral, as pessoas estão muito apressadas, muito cheias de urgências, cheias de prazos, tormentos, expectativas e frustrações, muitas vezes com fortes motivos para…
Ver publicação