Leques são ótimos para brincar e refrescar Foto: Bruna Tassis
Foto: Bruna Tassis

 

“Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô
Mas que calor ô ô ô ô ô ô
Atravessamos o deserto do Saara
O sol estava quente
Queimou a nossa cara
Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô
Mas que calor ô ô ô ô ô ô
E muitas vezes
Nós tivemos que rezar
Allah! Allah! Allah, meu bom Allah!
Mande água pra ioiô
Mande água pra iaiá
Allah! Meu bom Allah!”

Faz tempo que a preocupação para curtir a folia carnavalesca era apenas sobre qual o melhor traje deixaria o pequeno mais charmoso e confortável, não é mesmo? Como nesta praça a gente curte muito o brincar ao ar livre – e o dançar, cantar, farrear – compartilhamos dicas especiais para quem irá seguir os blocos acompanhado dos pequenos! Vale sempre priorizar as folias com perfil familiar ou voltadas para as crianças.

Não se esqueça: 

1 | Fique atento ao horário e ao amigo Sol
Acompanhe os horários de início e término e opte sempre pelo início da manhã, quando o sol ainda está mais ameno, afinal, até na sombra as crianças “queimam”, não é isso que dizem nossos avós? Cuidado com a exposição excessiva, que pode causar insolação. Hidrate bastante seu filho e proteja-o com chapéus, leve leques e até borrifador com água reaproveitada. Vale também roupinhas com proteção UV e até o guarda sol.  Não se esqueça do filtro solar e repasse sempre!

2 | Olha o repelente aí, gente!
Temos que proteger os pequenos de tanta zika que anda circulando por aí, afinal, quem quer criança dengosa na folia? Então, não esqueça de verificar com o pediatra qual é o tipo de repelente ideal para o seu filho e coloque como item de proteção indispensável! Ah, e lembre-se, o repelente é a última coisa a se passar, ok? Espere de 15 a 30 minutos para a pele absorver bem o filtro solar e passe o repelente em todas as áreas expostas (saiba mais aqui).

3 | Pule de forma segura
Os blocos são festas nas ruas com entrada franca e grande movimento, por isso, fique de olho nos pequenos que podem se perder, providencie uma pulseirinha para colocar no pulso da criança com os dados principais (nome dos pais e telefones de contato). Acompanhe seu filho em todas as atividades que ele for realizar. Evite muitos pertences e bolsas volumosas, opte sempre pelo mais prático. Procure estar sempre acompanhado, em grupos. A festa é na rua, então não se esqueça de verificar se o trânsito está fechado. Geralmente mantêm-se acesso ao trânsito local – para moradores – então redobre a atenção.

4 | Evite os artefatos químicos
Cuidado com artefatos químicos – como sprays de espuma – pois são inflamáveis. Muitos bebês e crianças têm peles sensíveis. Ensine a criança que o direcionamento do artefato também requer cuidado, ensine seu filho a não mirar no amiguinho, para não atingir a pele nem os olhos.

5 | Confete e serpentina
Que tal produzir os confetes sustentáveis com folhas secas? Além do contato com a natureza, ele não gera lixo! Olha que legal esta dica do Ser Criança é Natural. Não utilize confetes de alumínio, pois podem ser cortantes. Explique às crianças que não devemos enrolar a serpentina no pescoço e nem colocar o confete na boca.

6 | Então brilha!
Lembre-se de utilizar maquiagem e tinta hipolargênicas e tóxicas. Verifique o selo do Inmetro ou aprovação da Anvisa. Cuidado com o glitter nos olhinhos e mãos (que vai na boca, nos olhos…)

7 | Fantasia e adereço nota 10! 
Sabemos que as crianças são bastante persistentes quando escolhem um personagem específico, mas, caso você não possa fornecer a fantasia sonhada pelo pequeno, explique a ele que o que vale é a brincadeira, aproveite a oportunidade para criarem juntos uma fantasia. Opte sempre por roupas e acessórios confortáveis e vale improvisar. Explique a seu filho sobre como o conforto permitirá com que ele brinque mais e melhor. Entre na brincadeira e se fantasie também! Opte sempre por tecidos leves e frescos, sem muitos adereços que incomodam. Roupas com cordões e correntes no pescoço nã são recomendadas. E fique de olho nos botões para não se soltarem – há sempre mãozinhas curiosas para levá-los em locais indevidos. E como a farra é na rua, com variações de piso, fique atento ao calçado confortável e firme no pé.

8 | Como brincar?
Confete, serpentina, bolha de sabão, borrifador de água e as próprias fantasias garantem a diversão. Ensaie passos de dança com os pequenos, eles irão adorar!

9 | Como chegar? 
Se a folia for perto de casa, que tal uma caminhada? É mais distante, combine carona com os amigos ou utilize o transporte público ou privado. Cair na folia em companhia é sempre mais legal e o compartilhamento do carro impacta diretamente na frota na rua, na fluidez do trânsito – o planeta agradece!

10 | E a cervejinha?
Repense o consumo de bebidas alcóolicas quando estiver acompanhado das crianças. Lembre-se que os exemplos partem sempre de casa, não é mesmo?

11 | É pra bebê?
Sim, é para todas as idades! Leve no sling, no carrinho, no triciclo. Se ele já engatinhar, crie uma área para que ele sinta-se à vontade e comece a explorar o local (se for um parque, por exemplo). Se ele já anda, dê as mãos para o pequeno, e apresente-o para os ritmos. A mão foi para o chão, não tem problema: uma boa lavada deixa tudo limpinho!

12 | Vai ter “papá”?
Os blocos geralmente não oferecem alimentação saudável. Se possível, leve o lanche que seu filho está acostumado de casa. Acondicione de forma adequada, pois o calor interfere na manutenção da qualidade do alimento. Se for comer na rua, não se esqueça de observar a higiene do local, os aspectos dos alimentos, o manuseio (evite aquelas barracas em que a mesma pessoa pega no dinheiro e no alimento). Hidrate muito o seu filho: água, água de coco, chás e sucos são ideias.

13 | E se bater a vontade de ir ao banheiro?
Os blocos de rua contam com estruturas mínimas. No caso de banheiros, há opções pelos químicos ou do comércio no entorno. Não se esqueça de planejar a questão da higiene – leve papel e álcool em gel.

14 | Olha a chuva! O que fazer?
Não desanime, resgate a capa de chuva, a galocha, a sombrinha! Leve uma toalha, roupas extras na bolsa e curta. As crianças amam brincar na chuva!

 15 | E se o pequeno questionar sobre a letra da música de gente grande?
Bom, aí você vai ter que explicar direitinho dentro do que acha correto. Mas a melhor dica é: procure por bloquinhos infantis ou voltados para a família, deixe que o pequeno vivencie o que é para a idade dele.

16 | Respeite o tempo das crianças
O pique deles é diferente do nosso. Cansaram? Começaram a ficar irritados? É hora de voltar para a casa para curtir em um outro dia.

A gente não deve esquecer!
– recolha seu lixo e dê o destino certo
– respeite o espaço do outro
– dê bons exemplos sempre!

É legal registrar todo o borogodó dos pequenos, mas curta a folia, passe muito tempo com eles, aproveite o momento. Divirta-se bastante em família! Nos encontramos na folia!

Quer saber sobre a agendinha de blocos em Beagá? Leia AQUI.

Foto: Duorama
Foto: Duorama